Brasil derrota o México e se prepara para enfrentar a Bélgica

Após derrotar os "muchachos" mexicanos, a seleção brasileira se prepara para as quartas de final.

A Copa do Mundo terá uma legítima final antecipada, e do jeito que a maioria dos brasileiros já esperava. Depois de ter mantido a escrita de não perder para o México em Mundiais, com a vitória por 2 a 0, ontem, em Samara, o Brasil viu, horas depois, a confirmação daquele que é, com boa margem, o maior desafio da Canarinho na Rússia. O teste de ontem foi duro, mas dificilmente se compara àquele que espera os comandados de Tite na próxima sexta-feira, 6, às 15 horas (de Brasília).

Mesmo assim, são fortes os elementos que fazem crer que o Brasil conseguirá manter o alto nível para superar a Bélgica, em Kazan, naquele que promete ser um dos jogos mais espetaculares da Copa do Mundo de 2018.

Estarão frente a frente duas das seleções que chegaram badaladas à Rússia — e das poucas que têm confirmado tal status. Duas seleções extremamente talentosas, com modelos de jogo vencedores, bem como necessidade por conquistas e pressões praticamente equivalentes.

Ao mesmo tempo em que busca a redenção em Copas do Mundo após o fatídico 7 a 1, a seleção brasileira terá pelo caminho a “ótima geração belga”, que tem a missão de, enfim, se consolidar na História.

Em que pese enfrentar o time de melhor campanha na 1ª fase, um dos dois únicos — junto com o Uruguai — com 100% na competição e que vem de uma classificação espetacular aos 49 minutos do segundo tempo (com forte componente emocional), a seleção brasileira também tem seus trunfos. Bem como os belgas têm fraquezas. Isso ficou evidente ontem.

Apesar da grande capacidade de circulação, de propor o jogo e dos ótimos argumentos ofensivos que detém, com Lukaku, Hazard, De Bruyne e cia, os europeus já se mostraram frágeis defensivamente, cedendo espaços que Neymar, Philippe Coutinho e Willian podem usufruir bem.

Mais que isso, a forma como o Brasil vem crescendo no Mundial é alentadora. A cada jogo, o time que se mostra mais coeso, sólido, maduro e eficiente.

Historicamente, é difícil que um campeão mundial jogue “sobrando” em todos os confrontos. É bem mais comum ver uma evolução constante, jogo a jogo, tal qual a vista no Brasil de Tite.

A melhora coletiva potencializa — ou talvez seja potencializada — conforme o crescimento do seu principal craque. Neymar teve ontem, diante do México, a atuação mais centrada e fez seu melhor jogo na Copa, sendo decisivo para o placar de 2 a 0. Diferentemente de Messi ou Cristiano Ronaldo, que já foram pra casa, o brasileiro tem sido um líder técnico na hora mais importante.

Aos mais supersticiosos, também, vale a lembrança do único encontro entre brasileiros e belgas em Copas: em 2002, nas oitavas, vitória do Brasil por 2 a 0.

O duelo do melhor ataque — 12 gols marcados pela Bélgica — contra uma das duas melhores defesas —só um tento sofrido pelo Brasil — promete embates dos mais interessantes.

Se quatro passos já foram dados na caminhada rumo ao hexa, o quinto é o mais difícil deles até agora. É a “primeira final” das três restantes. Que venha a Bélgica!

GANHA VAGA

Com a saída de Casemiro, a tendência é que Fernandinho assuma a titularidade no meio-campo do Brasil. RECUPERADOS

Os laterais Marcelo e Danilo, já recuperados de lesões, estão à disposição de Tite para encarar a Bélgica.

 SUSPENSO

O volante Casemiro está fora do jogo contra a Bélgica por ter tomado o segundo cartão amarelo. PENDURADOS

Neymar, Coutinho e Filipe Luís têm um amarelo cada, e, se forem advertidos contra a Bélgica, ficarão fora da semifinal caso o Brasil passe.

Tags

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios